Tags

, ,

Imago mundi, imago Christi – O mappamundi de Ebstorf e a localização da Germânia imperial na Geografia simbólica da Idade Média Central (Imago mundi, imago Christi – The Ebstorf’s mappamundi and the location of imperial Germany in the symbolical Geography of Central Middle Ages)

By Vinicius Cesar Dreger de Araujo

Gervásio de Tilbury, cortesão e depois clérigo inglês que exerceu uma ativa carreira como jurista (formado em Bolonha) e administrador entre 1175 e 1225. Suas extensas viagens pela Europa Ocidental e seu relacionamento com diversos dos mais poderosos monarcas do período providenciaram-lhe experiência e materiais para a obra pela qual se tornou conhecido, os Otia Imperialia (Recreação para o Imperador), dedicada a seu último patrono, Otto IV. Sabe-se que era relacionado à família de Patrick, conde de Salisbury (tio de Guilherme Marechal) e passou considerável parte de sua infância e juventude na corte de Henrique II Plantageneta (Tilbury 2002: XXV). Sobre sua carreira, sabe-se que:

– Estudou Direito Canônico em Bolonha e depois ali ensinou por algum tempo.

– Esteve presente na conferência da Paz de Veneza em 1177 entre Frederico I, o papa Alexandre III e o rei siciliano Guilherme II (possivelmente durante o período de sua estadia bolonhesa).

– Passou algum tempo na corte peripatética de Henrique II, viajando pela Inglaterra e domínios franceses dos Plantageneta. Depois esteve ligado à pequena corte de Henrique o Jovem Rei, herdeiro coroado de Henrique II, falecido em 1183.

– Esteve a serviço da corte de Guilherme II da Sicília (genro de Henrique II através do matrimônio com sua filha Joana), falecido em 1189.

– Fez parte da entourage de Guilherme das Mãos Brancas, arcebispo de Reims (e tio de Felipe II Augusto de França), até a morte deste em 1202.

– Fez parte também da entourage de Imbert, arcebispo de Arles, provavelmente em algum momento da década de 1190.

– Em 1198 foi nomeado marechal imperial do reino de Arles e Borgonha por Otto IV (filho de Henrique o Leão e neto de Henrique II Plantageneta) até a queda deste em 1214.

– Em 1214, Gervásio foi nomeado reitor da abadia de Ebstorf, onde veio a falecer por volta de 1228. Porém, existem uma série de argumentos que questionam que um mencionado “Gervásio de Ebstorf” seja, de fato, Gervásio de Tilbury. (Tilbury 2002: XXVI-XXXVIII).

Gervásio e sua obra (os Otia Imperialia) foram, por força da tradição e de evidências, ligados ao maior mappamundi medieval, o mapa de Ebstorf, obra composta, provavelmente, na primeira metade do século XIII na abadia de mesmo nome, nordeste da Alemanha. Discutiremos as diversas concepções de espaço geográfico presentes neste mapa e o destaque dado nele à representação da Germânia imperial medieval.

Palavras-chave: mappamundi, representação espacial, Germânia imperial medieval.

Abstract

Gervase and his opus (the Otia Imperialia) have been, by virtue of tradition and evidence, linked to greatest  medieval mappamundi, the Ebstorf’s map, a work done probably in the first half of the thirteenth century in the abbey of same name, northeastern Germany. In this paper, we will discuss the different conceptions of geographical space presented in this map and the prominence given to the representation of medieval imperial Germany in it.

Keywords: mappamundi, spatial representation, medieval imperial Germany.

http://ppg.revistas.uema.br/index.php/brathair/article/view/720/646