Tags

, , ,

O Heliand é um longo poema escrito no século IX em Saxão Antigo, possivelmente no scriptorium de Rábano Mauro, que recontava os Evangelhos (baseado na versão historicizada de Taciano, o Diatessaron de Taciano – 160 dC), em forma adaptada aos usos e costumes germânicos. Contudo, devido à sua forma épica, as aproximações entre o Heliand e a poesia escandinava tornam-se muito tentadoras. O valor do texto de Elisabeth Keller está justamente em uma análise comparativa pautada na Linguística.

ABSTRACT:

The aim of this study is to investigate the relationship between the literacizing and poeticizing of two narratives supposedly formed on older oral traditions, the Poetic Edda and the Heliand. I will try to show that both are learned literary works of art based on Indo-European and Classic models as well as the conventions of writing that were active at the time of their being written down, and not some spontaneous free spirited folkloristic expressions.
The study is parted in two: I will first attempt to study how and why traditional oral narratives are transmitted into writing and what can trigger their poeticizing. In order to do this I will take a quick look at how the collection and literacizing of oral narratives happened in Modern times. I will then study what kennings are used for Odin in the Poetic Edda and what names are used for God in the Heliand, comparing those the four that show the closest kinship in etymology and/or semantics.
The comparison is based on “Odensheite” by Hjalmar Falk as part of his historical – philosophical class and a preliminary list of Gods names in the Heliand, which I have made myself as part of my master’s thesis.

RESUMO:

O objetivo deste estudo é investigar a relação entre as construções literárias e poéticas de duas narrativas supostamente formadas em tradições orais mais antigas, a Edda Poética e o Heliand. Vou tentar mostrar que ambas são obras literárias de arte baseadas em modelos indo-europeus e clássicos, bem como nas convenções de escrita que estavam ativas no momento em que estavam sendo escritas, e não expressões folclóricas espontâneas e de espírito livre.
O estudo é repartido em dois: primeiro tentarei estudar como e por que narrativas orais tradicionais são transmitidas através da escrita e o que pode provocar a sua poetização. A fim de fazer isso, passarei rapidamente no como a recolha e a literalização de narrativas orais ocorrida nos tempos modernos. Então estudarei quais kennings são usados ​​para Odin na Edda Poética e que nomes são usados ​​para Deus no Heliand, comparando os quatro que demonstrarem o parentesco mais próximo em termos etimológicos e/ou semânticos.
A comparação é baseada no “Odensheite” por Hjalmar Falk como parte de seu curso histórico-filosófico e uma lista preliminar de nomes de Deus no Heliand, que fiz como parte de minha dissertação de mestrado.

http://www.scribd.com/doc/95476291/Odins-Names-in-the-Poetic-Edda-Compared-to-Gods-Names-in-the-Heliand