Tags

, , , , , ,

Fascinating european project!

The Ecology of Crusading: The Environmental Impact of Conquest, Colonisation and Religious Conversion in the Medieval Baltic, is a multi-disciplinary research programme running from October 2010-2014, funded by the European Research Council.

In the 13th century, crusading armies unleashed a relentless holy war against the last indigenous pagan societies in Europe: tribal groups in the Eastern Baltic region. Tribal territories were replaced with new Christian states run by the Teutonic Order and individual bishops – the former virtually unique in Europe. They constructed castles, encouraged colonists, developed towns and introduced Christianity. At a time of deteriorating climate, their impact on the local environment, especially plants and animals, would have been profound. Since many aspects of the natural world were sacred to the Baltic tribes, this impact would be synonymous with the cultural changes that created a new world – a European world – at this frontier of Christendom.

How did the environment change? Is it the key to understanding why the societies forged in the fires of holy war increasingly prospered and developed, at a time when the rest of Europe was in the grip of famine, disease pandemics and social crises?

This project aims to investigate this formative epoch in the emergence of European society.

http://www.ecologyofcrusading.com/

A Ecologia das Cruzadas: O Impacto Ambiental da Colonização, Conquista e Conversão Religiosa no Báltico medieval, é um programa de pesquisa multidisciplinar, realizado entre Outubro de 2010-2014, financiado pelo Conselho Europeu de Investigação.

No século 13 os exércitos cruzados desencadearam uma implacável guerra santa contra as últimas sociedades indígenas pagãs na Europa: grupos tribais da região do Báltico Oriental. Territórios tribais foram substituídos por novos estados cristãos geridos pela Ordem Teutônica e bispos individuais – sendo que o primeiro foi um caso virtualmente único na Europa. Eles construíram castelos, incentivaram a colonização, desenvolveram cidades e introduziram o Cristianismo. Em um momento de deterioração do clima, o seu impacto sobre o meio ambiente local, especialmente plantas e animais, foi profundo. Como muitos aspectos do mundo natural eram sagrados para as tribos do Báltico, este impacto foi sinônimo de mudanças culturais que criaram um novo mundo – um mundo europeu – nessa fronteira da Cristandade.

Como o ambiente mudou? Esta é a chave para entender por que as sociedades forjadas no fogo da guerra santa prosperaram e se desenvolveram, em um momento em que o resto da Europa estava sob o domínio de uma pandemia de fome, doenças e crises sociais?

Este projeto tem como objetivo investigar esta época formativa na emergência da sociedade europeia.

http://www.ecologyofcrusading.com/