Tags

, , ,

Parergon, 20:2 (2003), 47-70  

Abstract

Historians have traditionally suggested that the cult of saints underwent two main transformations during the later Middle Ages. First, it is frequently argued that saints’ bodies became less necessary at shrines as cults became more delocalised. Second, as Lionel Rothkrug has asserted, the act of pilgrimage became more about ‘looking forward in hope’ than ‘looking backward in gratitude’. This article explores the nature of late-medieval pilgrimage in the light of these assertions. I concentrate on the cult of St Leonard, patron saint of prisoners, and the promotion of his cult in the small Bavarian town of Inchenhofen from the thirteenth century. My argument is that the cult of St Leonard reveals that bodies remained a focal point of devotional practice at this shrine, and that the act of pilgrimage itself might usefully be seen as a generative act or process of embodiment. 

Resumo:

Tradicionalmente os historiadores  sugerem que o culto aos santos foi submetido a duas principais transformações durante a Idade Média. Primeiro, frequentemente argumentam que os corpos dos santos tornaram-se menos necessários nos santuários conforme os cultos tornaram-se mais deslocalizados. Segundo, como Lionel Rothkrug afirmou, o ato de peregrinação tornou-se mais sobre o “olhar em frente com esperança” do que “olhar para trás com gratidão”. Este artigo explora a natureza da peregrinação durante o final da Idade Média à luz destas afirmações. Eu me concentro no culto de São Leonardo, padroeiro dos prisioneiros, e a promoção de seu culto na pequena cidade bávara de Inchenhofen a partir do século XIII. Meu argumento é que o culto de São Leonardo revela que os corpos permaneceram um ponto focal da prática devocional neste santuário, e que o ato de peregrinação em si pode ser útil visto como um ato gerador ou processo de incorporação.

 http://www.academia.edu/1004213/Pilgrimage_and_Embodiment_Captives_and_the_Cult_of_Saints_in_Late_Medieval_Bavaria