Tags

, , ,

Gesta, Vol. 41, No. 2 (2002), pp. 95-110

Abstract

Drawing on inherited traditional symbolism, apocalyptic iconography, and monastic exegesis, this essay explores how the representation of the Vision of the Last Days in Hildegard’s Scivias, and, in particular, the image of Antichrist, may have been understood by Hildegard, her monastic magister, Volmar, and other members of her earliest audience. Focusing on the miniature included in the lost Rupertsberg manuscript of Scivias as the best witness to Hildegard’s original designs, the essay argues that the vision, its visual rendering, Hildegard’s description of it, and the commentary on it spoken by the Voice from Heaven are qualitatively and temporally distinct aspects of Hildegard’s visionary experience. In a concluding analysis, the frontispiece of the Rupertsberg manuscript, which depicts Hildegard in vision, is shown to distinguish four stages in her visionary experience.

Resumo

Baseando-se em heranças do simbolismo tradicional, da iconografia apocalíptica, e da exegese monástica, este ensaio explora como a representação da Visão dos Últimos Dias nas Scivias de Hildegard, e, em particular, a imagem do Anticristo, pode ter sido entendida por Hildegard, por seu mestre monástico, Volmar, e outros membros de sua audiência inicial. Com foco na miniatura incluído no perdido manuscrito de Rupertsberg das Scivias como o melhor testemunho dos desenhos originais de Hildegard, o artigo sustenta que a visão, sua construção visual, a descrição dada por Hildegard e os comentários ditos pela Voz do Paraíso são aspectos distintos qualitativa e temporalmente da experiência visionária de Hildegard. Em uma análise conclusiva, o frontispício do manuscrito Rupertsberg, que retrata Hildegard na visão, é mostrado para distinguir quatro estágios em sua experiência visionária.

http://www.medievalists.net/2013/01/13/the-representation-of-antichrist-in-hildegard-of-bingens-scivias/